... o porquê do quê ...

Não entendia o meu facínio pelas aventuras de Peter Pan, eu que sempre fui extremamente feminina me encantava com o garoto que não queria crescer. Talvez hoje eu entenda tudo isso, acredito que algo dentro de mim já me avisava que crescer não seria a minha "praia". Não que eu tenha medo ou até mesmo preguiça de crescer, mas sim porque vemos o mundo de uma maneira real. Aprendemos oque eu jamais gostaria de ter aprendido, limitar nossos sonhos, ver que nem tudo é possível, ou melhor, que quase nada é, que felicidade é momentânea. E se descobre que os sonhos quase nunca deixam de ser sonhos ...

E por isso amo minha terra do nunca, onde as lembranças se tornam o meu presente e por alguns instantes posso acreditar que tudo pode acontecer ...

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Um amor adormecido em mim...

Com o tempo eu pude perceber que não podemos ter tudo que desejamos, com tempo eu também compreendi que existem sentimentos que podemos ocultar, adormecê-lo, para que então possamos continuar a viver. O tempo vai passando e até nós mesmo esquecemos daquele sentimento, mas isso não significa que ele não esteja lá. Em sonhos involuntários sempre acabava me deparando com ele, como se eu saísse dele, mas ele se recusasse a sair mim.
...De repente, no meio da noite acordo com minha própria respiração ofegante, meu coração parece não caber dentro do meio peito e percebo que nos meus olhos já se derramaram rios de lágrimas, fecho os olhos e tento me lembrar o que sonhei, logo me arrependo de tentar, e me pergunto baixinho "porque meu Deus?". Olho para o céu e lá esta o cenário que mais amo, aquela imensidão de estrelas, aquela lua brilhante, cenário este que já foi presente em tantos momentos de amor, e que hoje é o mesmo cenário da minha dor...
Fico confusa, normalmente em meu dia a dia não me lembrava deste amor, a não ser em minhas visitas a terra do nunca, e agora estava eu, pensando nele, bem no meu mundo real. O príncipe que se tornou sapo, para mim depois desta transformação tudo teria acabado, o sentimento teria dormido e eu poderia viver. Mas nesta noite eu tive uma descoberta, eu ainda amava o meu príncipe-sapo, de uma forma oculta eu sempre o amei, ele foi a pessoa que meu coração escolheu e mesmo ele não sendo nada do que eu desejo, o sentimento que sinto é verdadeiro, neste amor não existem mentiras, falsidades, traição, ele sempre foi puro. A verdade é que meu coração se recusa a esquecer, por um motivo que eu mesma desconheço.
Foi estranho tentar aceitar este amor novamente em mim, na terra do nunca eu o sinto sempre, mas aqui no meu mundo real ele me faz pirar, eu perco o ar, mas de uma forma verdadeira é surpreendentemente belo, tão puro que minhas lágrimas escorrem pelo meu rosto sem que eu veja. Que amor é este que me faz querer gritar em silêncio, chorar sem sentir dor, morrer estando viva?
Com o tempo eu aprendi muito, mas com mais tempo eu aprendi mais ainda. Entendi que tudo que dorme tende um dia acordar, que sentimentos verdadeiros nunca adormecem para sempre, que a vida é mais bela quando somos sinceros com nós mesmos. Amo ao ponto de morrer e até matar, de parecer que aquele amor nunca terá fim, de importar mais com outra pessoa do que comigo mesma, porém apesar disso tudo, deste amor ser lindo e verdadeiro eu não vou viver somente por este amor, mas também não vou fingir que esqueci dele. Hoje sei que existe vida feliz sem ele, que existe prazeres imensos que não o incluem.
Por isso vou aceita-lo e aprender a viver com este amor sem me enganar, pois no amor verdadeiro não se aceita trapaças e eu que nunca menti pra quem eu amava passei a mentir pra mim mesma. Talvez este seja o primeiro passo para esquecê-lo de verdade.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Aprendiz de sonhadora

Sonhar, se existisse uma só palavra para definir minha vida sem dúvida seria esta, os sonhos fazem parte dos meus dias, constituem uma parte do meu ser. Sonho o tempo todo, durmo sonhando, acordo sonhando, passo o dia todo dividida entre estes meus dois mundinhos: minha terra do nunca e meu preciso mundo real.
Na terra nunca eu posso ser eu, posso sonhar, desejar, voar para onde eu quiser, ser livre de uma forma não existente no mundo real, onde devemos usar máscaras e sermos muitas vezes algo que não queremos ser.
Ser uma sonhadora não é tão fácil quanto parece , necessita de tempo, prática e até métodos, pois se não de sonhadora feliz me torno uma mera depressiva. Infelizmente com os obstáculos da vida aprendemos que até para nossos sonhos existem limites e aprendemos a limitá-los, mas isso não significa não sonhar e sim aprender a sonhar.
Podemos dizer que sou uma aprendiz de sonhadora, e aprender isso é complicado, pois quem me ensina a sonhar é a própria vida e tendo uma imaginação tão fértil e confiante como a minha é difícil limitar certos desejos.
Hoje vejo que nos nossos sonhos deve existe um só protagonista, nos mesmos, não podemos desejar que outra pessoa deseje o mesmo que nos desejamos. Mas felicidade não é feita sozinha, ai nós deparamos com um problema que demorei a resolver, como eu sonho com alguém se não pode ter ninguém?
Com o tempo eu fui vendo que o alguém pode existir, ele só não pode ter um nome único, pensar que é aquele ou não é nenhum. O mais difícil para mim foi reconhecer que somos donos do nosso próprio destino e não da pessoa que amamos. Príncipes encantados existem, acredito neles, todos merecem achar a sua metade, o problema é que somos afobados e o "achei" sem "achar" complica nossos corações. A vida é cheia de armadilhas e aprendizados e muitas vezes aquela pessoa, não é Aquela pessoa.
Hoje sei disso muito bem, fui pega nesta armadilha, quem eu acreditava ser meu príncipe definitivamente não era o meu príncipe e jamais poderia ser. Porém devemos ver que nada deste mundo é em vão, devemos acreditar em Deus, ele não foi o meu príncipe, mas foi essencial para eu poder encontrá-lo, só se sabe o que é bom quando se conhece o ruim, hoje sei o que eu quero, o que me fará feliz de verdade.
Devemos ir longe com os nossos pensamentos, eu vou um pouco além do longe confesso, sonho com tudo, desde me formar na profissão que amo, como mergulhar numa gigantesca vasilha de chocolate, ganhar na mega sena acumula em milhões, andar de patins numa estrada imensa, pular do lugar mais alto que eu possa imaginar, conhecer o mundo, casar na igreja em que minha mãe casou...
Hoje sonho com a intensidade que sempre sonhei, não saberia viver de outra forma, mas aprendi muito e com este aprendizado consigo fazer que eles não se tornem pesadelos. Sonhar enche minha vida de vida, acalma meu coração, enchem meus olhos de lágrimas, eu me emociono a cada sonho novo , é tão bom poder fechar os olhos e em segundos estar em lugares que nunca fui e que nem sei se existem.
Sou uma aprendiz de sonhadora e quanto mais eu aprendo, mas vejo como sonhar é prazeroso e importante, mas concretizar-los também é, para que possamos continuar a acreditar em nossos sonhos. Sonhar não é só imaginar é também lutar para que eles se tornem realidade e para mim é fazê-lo migrar da terra do nunca para o mundo real.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Datas me comovem ...

Se na Terra do Nunca do Peter Pan o Capitão Gancho mandou destruir todos os relógios, na minha eu destruiria todos os calendários. Datas mexem comigo de uma maneira surpreendente e perturbadora. Quando chega o aniversário de uma data marcante, mesmo que esta já esteja superada, eu me sinto como no dia que aconteceu, como se flashbacks acontecessem de uma forma repentina que chega a ser insuportável. Só de fechar os olhos eu revivo tudo, eu sinto na pele, eu sinto o cheiro, é como se eu voltasse para aqueles momentos, sinto a mesma dor, tudo novamente, fico sem ar, é incrível como minha memória que geralmente é péssima consegue resgatar cada detalhe do momento, cada olhar, cada lágrima, cada palavra...
Eu me emociono em datas como esta que vivo hoje, me sinto tão estranha, pensar que já se passaram um ano que tive o pior dia da minha vida, pensar e sentir o tanto que sofri, como se aquele passado fosse tão presente e que hoje na verdade é tão ausente. E estranho pensar que á 365 dias atrás eu queria morrer, queria de verdade, olhava pra mim e não queria mais ser eu, eu não sabia quem era eu. Em pensar que eu não estaria aqui, sendo que hoje eu quero viver com tanta intensidade, aí vejo como desejamos coisas idiotas, como eu pude ser feliz e descobrir coisas tão boas de mim mesma.
Talvez as pessoas não entendam estes dias ruins, talvez elas achem que isso é uma superação mal realizada, mas não é, eu só me permito sentir, não tenho vergonha de admitir que pessoas e sentimentos nunca morrem apenas adormecem para que possamos viver novas experiências, novos amores e porque não novas dores, já que elas são as que mais nos ensinam.
Dias como o de hoje marcam um fechamento e uma abertura , quando uma última página é escrita e uma história se acaba naquele mundo real, vidas se separaram, e nos fazem seguir adiante.
Hoje fecho os meus olhos e sinto o calor de uma respiração, um toque de uma mão, um adeus dado com tanta dor, lembrar-me de tudo isso é como explosão de sentimentos bons e ruins, me fascina ver como o ser humano pode sentir tantas coisas ao mesmo tempo, como podemos amar, odiar, desejar. Sentimentos opostos juntos em um só.... Eu não me nego isso, apesar de odiar calendários, já que não posso destruí-los eu os vivo, algumas pessoas podem chamar isso de "curtir fossa", mas eu chamo de aceitar meus sentimentos, aceitar esta dor da lembrança de algo que passou.
Mas nunca se esquecendo que tudo tem sua hora, hoje eu me permiti viver cada momento da pior data que já existiu na minha vida, o meu peito dói, meu coração aperta e minhas lágrimas caem sem eu sentir, eu queria gritar com tanta força, mas não sai voz, ninguém me escuta. Hoje me sinto assim, sozinha, triste, porém amanhã viro mais esta página, e não as jogo fora, as deixo aqui dentro, quardadinha, pois foi desta história que peguei os maiores ensinamentos da nova história que escrevo hoje... Datas me comovem... E me fazem ver como o meu passado foi sincero, como o meu presente é único e como o meu futuro pode ser melhor ainda.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Banalização do "te amo"

Na terra do nunca amor é coisa séria, tem que ser tratado com respeito e importância. Posso ser uma tola romântica, mas se existem coisas que dou valor na vida são os sentimentos puros e simples. Talvez por que as maiores felicidades da minha vida não foram compradas e sim sentidas.
Como quase tudo no mundo, o amor pode ser representado de várias maneiras, mas a que mais me fascina são sem dúvida as palavras: te amo, sou apaixonada por esta pequena frase, sinto falta de falá-la, de ouvi-la e principalmente de senti-la.
E é por isso que sou vibrada no "te amo", são poucas palavras que conseguem passar da fala e audição para sensação. E eu as sinto tão bem, que só de lembrar meu coração se aperta e fechando meus olhos eu vou longe. É uma sensação tão prazerosa e gostosa, que perco o ar por segundos e esqueço de onde estou. Espero que um dia todos possam sentir estas palavrinhas com a intensidade que eu as sinto, pois é inexplicavelmente maravilhoso. Pena que hoje só fazem parte das minhas lembranças, mas sei que um dia farão parte novamente do meu presente.
A banalização do te amo me revolta, as pessoas as usam de forma baixa e não dão o valor que elas realmente possuem, tenho até medo, medo de sua extinção, medo que ela se torne uma frasinha comum. O rapazinho quer leva a mocinha para cama, ele diz que a ama, ela finge que acredita, e pronto, o te amo se tornou algo pra conseguir coisas tão fúteis. Apesar de que no mundo de hoje acho que nem um te amo é necessário pra levar alguém pra cama (rs), ou seja, banalização no amor, no sexo, em tudo.
A verdade é que as pessoas vivem uma mentira, somos fantoches de uma sociedade que não valoriza mais o amor, que nos fazem amar de mentira, fazendo que as pessoas não creiam mais em algo puro e inocente, a traição se tornou elemento comum em uma relação, o casamento é um contrato, e ainda é visto com um contrato falido.
Agora eu me pergunto o porquê disso tudo, porque não acreditar em coisas tão boas? Por que as pessoas mentem, vivem relacionamentos falsos e dizem te amo como se fosse bom dia? Não entendo o porquê o ser humano tem um péssimo hábito em estragar tudo que os fazem felizes de verdade e ainda de forma gratuita.
Tudo isso me chateia de verdade, não porque as pessoas usam o amor de forma errada, não creio que existam formas certas para amar, mas porque acredito que tudo que não é alimentado é esquecido e ainda espero pelo dia que poderei dizer e escutar te amo novamente. Tenho medo de quando acontecer eu não consiga mais sentir e isso seria não acreditar mais no amor, isso seria eu perder minha maior razão de existir.
Mas graças a Deus minha terra do nunca “existe” e nela eu vivo minhas lembranças, eu posso sentir o quanto é bom amar, o quanto ele pode ser puro e mesmo quando platônico a infinidade de sentimentos podem ser tão verdadeiras. Nunca esperei retribuição de amor, sempre distribui amor de graça, acredito que amar de verdade é fazer sem esperar nada em troca, é amar por vontade própria, por querer amar. E são todos estes sentimentos e lembranças que vivem dentro de mim que me dão força para seguir em frente, acreditando no inacreditável e ainda por cima sendo incrivelmente feliz!

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Paz para o meu coração

Acredito que todas as pessoas tenham sonhos, uns maiores, outros menores, ambiciosos ou ingênuos todos possuem, comigo não seria diferente. A não ser pelo fato que sonho mais do que o normal. Na verdade posso dizer que vivo mais sonhando que no mundo real, quando entro na minha terra do nunca não tenho vontade de voltar, sonhar é meu maior lazer.
Depois que se crescemos descobrimos que raramente sonhos deixam de ser sonhos, não só porque geralmente eles são exagerados, mas também porque nem sempre o que sonhamos tem a repercussão que acreditávamos que teria, e isso faz do sonho realizado virar um verdadeiro pesadelo. A maior alegria da minha vida é pode dizer que o meu maior sonho se realizou, encontrei a paz para o meu coração, hoje ele bate tão tranquilamente que ás vezes até estranho, mas depois de dias tão agitados ele merecia paz.
A paz do meu coração foi a busca mais difícil e demorada da minha vida, pois sempre a procurei em lugares que hoje sei que ela jamais estaria. Acreditava que amando, que estando ao lado de quem eu acreditava ser o amor da minha eu estaria em paz, mas estava errada, quando eu amo alguém, esqueço de tudo e de todos. Fico cega, me dedico somente a ele, erro que só fez o meu tombo ser maior ainda.
Uma noite muito complicada, a mais complicada da minha vida, eu chorava muito, eu gritava, estava em desespero, não sabia o que fazer, olhava para a janela, e que Deus me perdoe queria me jogar. Derrepende escutei uma voz baixinha, de alguém tão baixinha quanto ela e ouvi as palavras mais puras e lindas que já escutei na vida, me oferecendo colo, naquele momento meu coração parou de doer, aquela força que apertava e me fazia perde o ar passou, e eu pude novamente respirar. Eu encontrei a paz do meu coração.
Depois foi fácil enxergar o que é tão obvio, a paz para ele sempre esteve ao meu lado, o sorriso da pequena, a gargalhada do meu afilhado, o olhar sério e sincero dos meus irmãos, a ingenuidade da minha mãe, o carinho do papai. Percebo o quanto fui burra, às vezes procuramos coisas que estão ao nosso lado. Só que a cegueira da vida nos tira do caminho certo, e uma criança de apenas dois anos solucionou o meu problema, me mostrou como realizar o meu maior sonho.
Descobri que um amor, uma pessoa especial é algo que proporciona alegria ao nosso coração, mas infelizmente o ser humano sofre mudanças e nem tudo dura eternamente, então devemos nos agarra naquelas pessoas que não sofrem mudanças de sentimentos, aquelas que estarão sempre ao nosso lado.
Hoje me encontro feliz, posso não ter tudo que quero e que sonho, mas tenho o mais importante pra obter: a paz do meu coração.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Meu Cupido fuma maconha ! só pode !

Que a terra do nunca é uma terra sem leis todo mundo já sabe, mas cupido doidão já é demais até para mim! Pois é apesar de lamentável, o caso é verdadeiro e bem engraçado ! Após anos em um clinica de reabilitação eu desisto de tentar curar o vício do meu querido amigo cupido, foram duas etapas complicadas. A 1º que durou 3 anos, acreditava-se que ele tinha se recuperado, mas foi só soltar ele na rua que pronto errou o alvo mais uma vez. Ai foram mais 5 anos e nada de recuperação! Realmente meu cupido é um daqueles casos sem solução, to achando que da maconha ele ta pulando para algo mais pesado!
Desde novinha eu me apaixono fácil, lembro-me como se fosse ontem o meu primeiro amor,
loirinho , olhos claros e o essencial para o meu cupido agir , me achava um lixo!
Eu era tão novinha e já chorava por um homem, é minhas lágrimas de amor começaram cedo, e só Deus para explicar como até hoje elas não secaram.
O fato engraçado do meu 1º amor é que logicamente esta história não deu em nada, mas depois de quase 10 anos eu o encontrei em uma festa, e fiquei com ele ! Não tem como dizer que meu cúpido é inútil e imprestável, ele só é devagar coitado, doidão né ?! Demorou só uma década para me fazer beijar o garoto que já era quase um homem, é obvio que não senti nada e fui para casa com algumas certezas, meu primeiro amor não era tão lindo assim e ainda beijava mau ! Esta história me rendeu boas risadas, meu cúpido é assim fazer o que ?!
Por esta e outras histórias que eu poderia contar percebe-se que a minha vida amorosa é cômica pra não dizer trágica, e depois de alguns anos namorando e achando que tinha achado a pessoa certa, me encontro em estado civil Feliz ! Sim, apesar de tudo eu me sinto muito bem pela 1º vez estando sozinha, e dar férias para o meu cupido não é uma má idéia, só espero que ele não fume tudo que ver pela frente e me volte mais doidão ainda!
Sinto falta de ter alguém , sou uma pessoa que nasceu para amar, não é fácil me sentir tão só, mas quem acha que a vida é fácil deveria permanecer na terra do nunca 24 h. do dia, eu não me dou este luxo, as vezes volto para o meu mundo real e enxergo as coisas como elas são.
E apesar de tudo estou de bem comigo mesma e com o meu cúpido, sinto falta de ter alguém para amar, pra dizer que amo , para sentir o amor, mas sei que tudo tem sua hora, e quem sabe um dia meu cúpido acerta o alvo certo e eu possa mais uma vez amar , sonhar e viver mais uma história a dois ! Que dizer a três, meu cupido é doidão mas não posso esquecer dele assim, né ?!

sábado, 24 de julho de 2010

Minha família Terra do Nunca ...

Na Terra do Nunca família grande é primordial, com direito passarinhos, cachorros, cunhadas, amigos, namorados , e etc... Minha casa era exatamente assim, tinha dia que eu surtava , silêncio era algo impossível e privacidade nem se sabia oque era , se eu soubesse o tanto que isso era bom teria poupado muitos gritos em casa .
Sinto falta daquela sala lotada, som, tv, pc, colchões espalhados, e ainda um irmão mais velho pirado que ao meio desta bagunça toda ainda tocava violão e cantava, dois outros irmãos que faziam da casa um verdadeiro carnaval o ano todo, tinha mais 3 cunhadas, 2 cachorros, milhares de passarinhos que cantavam o dia todo, 1 namorado e pais que viviam brigando mas se amando!
Este sim era um lar perfeito ! Ow saudade que aperta meu peito e que quase explode meu coração, e por meio destas lembranças vivo uma felicidade tão sincera que me faz acreditar em felicidade real , não momentânea, pois ela pode não mais existir para o mundo real, mas vive a todo vapor dentro de mim.
Hoje no meu mundinho real é tudo bem diferente, apartamento 2 quartos, irmãos quase todos casados, pais separados, e as únicas coisas boas de verdade são pequeninos que vieram trazer alegria para os dias de hoje, meus queridos sobrinhos ...
O silêncio me incomoda, a campainha que nunca toca, o cachorro que nunca late, a privacidade tão desejada e hoje facilmente rejeitada ...

Príncipes e sapos na Terra do Nunca?

Apesar da terra do nunca não ser uma terra de paixões, a minha é bem diferente, sou uma romântica apaixonada, daquelas bem tolas que se entrega a um amor sem exitar. Sempre acreditei em príncipes, não os de conto de fadas, com cavalo e um palácio, mas um cara especial e que viveríamos uma linda história de amor. Talvez por isso na minha terra do nunca não exista términos, onde o príncipe vira um sapo e todo aquele sonho que se acreditava acaba, ou melhor se reconhece que ele jamais existiu. Que aquele relacionamento não era eterno e que a pessoa que você deu a sua vida não merecia nem um dia dos anos dedicados a ela, mas esta parte eu deixo pro mundo real.
Eu não sabia o que era dor de amor vivendo na minha terra do nunca, e acabei descobrindo em um só dia no meu mundo real, e dói, é algo tão forte que invade algo dentro de nos e perdemos o ar, fechamos os olhos e pedimos , imploramos á Deus para tudo aquilo ser um pesadelo, e quando descobrimos que não é, por um segundo preferimos á morte, não desejo esta dor que senti para ninguém.
Na terra do nunca, o príncipe não vira sapo, ele é exatamente tudo que eu sonhei, ele é exatamente tudo que eu fui e não ganhei em troca, olhares sinceros, fidelidade total, amor incondicional e toda vez que eu o via eu flutuava e perdia o ar por alguns segundos, mesmo depois de anos, como se eu me apaixonasse todos os dias dinovo.
Nunca gostei de perfeições, defeitos e erros amadurecem o relacionamento, e o mais estranho é que as coisas que eu mais sentia falta do meu príncipe sapo eram os defeitos, estranho pensar que amei tanto alguém que me apaixonei até pelos seus defeitos. Mas eu ainda não acordei do meu sonho, posso acordar de todos outros, mas não deste, sem este sonho eu não sou eu. Sou uma tola apaixonada por filmes românticos e que acredita em amor eterno, e sei que um dia meu príncipe novo vai chegar sem direito a virar sapo, e ele fará parte dos meus dois mundos. E viverei não como uma princesa de contos de fadas e nem com um príncipe perfeito, mas terei o final de todos eles .. “e eles viveram felizes para sempre”